Associação Criança na Arte Sarajane

segunda-feira, junho 20, 2005

Equipe entrevista vice-presidente da Acasa

Entrevista realizada com Luís Inácio Ferreira, vice-presidente da instituição Acasa e professor de maracatu.



Fachada da instituição


Equipe – Como surgiu a idéia de fundar a ACASA?
Luís Inácio – Tudo começou com a Sarajane (Tude, cantora e presidente da instituição). No início tínhamos apenas uma mesa, um telefone e um computador. Ao criarmos a Acasa, nossa idéia era só oferecer serviços de formação para crianças, adolescentes e jovens, contribuindo para o desenvolvimento da comunidade local. Mas, acredito até que pela divulgação na mídia, a ONG tomou outras proporções. Quando percebemos, já atendíamos pessoas de outros bairros, então resolvemos pedir a ajuda de parceiros, como a prefeitura, que nos cedeu esse prédio.


Equipe – Qual a maior dificuldade enfrentada pela Acasa nesse momento?
Luís Inácio – As dificuldades são muitas, mas, emergencialmente, falta patrocínio e espaço para darmos continuidade às atividades da Ong. Para você Ter uma idéia, as aulas de maracatu estão sendo realizadas na rua, pois a aula faz muito barulho e temos vizinhos, precisamos respeitá-los.

Equipe – Com todas estas dificuldades, como vocês estão mantendo a instituição?
Luís Inácio – Para que as aulas fossem viabilizadas, sem prejuízos para os alunos, passamos a cobrar uma taxa. O valor cobrado vai variar de acordo com o curso escolhido pelos alunos. Entretanto, para cada curso oferecido pela Acasa, existem vagas reservadas à pessoas que realmente não tem condições de pagar essa taxa.

Equipe – Quais os parceiros que ajudam atualmente na manutenção da Acasa?
Luís Inácio – Atualmente contamos com o apoio da Receita Federal. Eles colaboram com doação de objetos que são apreendidos por irregularidades. Para transformar isto em verba, geralmente realizamos um bazar, onde os produtos são comercializados.

Equipe – Que tipo de beneficiários é o o público-alvo da instituição?
Luís Inácio – A Acasa é uma organização socialque tem vários cursos voltados para jovens e adultos de baixa renda.

Equipe – Existe uma média de idade para as pessoas que são atendidas pela instituição?
Luís Inácio – Sim. Aqui nós atendemos crianças, adolescentes e jovens. A idade destes alunos varia de seis a 23 anos. Mas, em cada curso, o perfil e a faixa etária mudam muito.

Equipe – Quais os cursos oferecidos atualmente pela Acasa?
Luís Inácio – Além dos cursos na área musical, partimos também para cursos profissionalizantes. Os cursos são de violão, capoeira, cortejo e maracatu, ciranda e coco, customização em corte e costura e bordado, telemarketing, cabelo afro, recepcionista, porteiro e pizzaiolo.

Equipe – Como é a sua participação na Ong?
Luís Inácio – Atualmente sou o vice-presidente da Acasa e instrutor nos cursos de maracatu e grafite.

Equipe – Quem tiver interesse em participar de algum curso, como deve proceder?
Luís Inácio – Os interessados podem obter mais informações sobre os cursos, horários e disponibilidade de vagas nos seguintes locais: Rua Direita do Santo Antônio, nº 60, pelo e-mail ac.asa@terra.com.br ou ainda pelo telefone 71 3241-0940.

sexta-feira, junho 10, 2005

Evento dá exemplo de inclusão de pessoas com deficiência mental



Liderança e Prosperidade Coletiva, evento voltado para lideranças empresariais e políticas de todo o país faz parceria com o Carpe Diem, uma associação sem fins lucrativos que promove a inclusão social e profissional de pessoas com deficiência mental. O evento a ser realizado em 23 de junho no Grand Hyatt São Paulo, contará com palestrantes internacionais, com destaque para o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton. Ao seu lado estarão o também norte-americano e professor da Harvard University, Marty Linsky e o professor da FGV-SP e consultor de empresas, José Tolovi Jr.

Pela parceria, quatro jovens com deficiência mental irão trabalhar no evento, auxiliando na recepção e cadastramento dos participantes, e no recolhimento de perguntas do público durante as palestras. Com isso, a idealizadora do evento, Cambridge Leadership Associates (CLA), consultoria especializada no desenvolvimento da cultura de liderança, e o Carpe Diem, esperam demonstrar como é possível incluir pessoas com deficiência mental no mercado de trabalho e na sociedade, especialmente porque são esperados centenas de empresários de algumas das maiores companhias no país.

Fonte: Comunique-se

quarta-feira, junho 01, 2005

Você sabe o que é o Terceiro Setor?

O terceiro setor chegou ao Brasil na década de 1970, mas popularizou-se e cresceu, sobretudo, nos anos 90, quando o conceito de cidadania adquiriu maior importância. Como resultado, organizações sem fins lucrativos começaram a atuar em áreas que até então seriam de responsabilidade governamental, como saúde, educação, meio ambiente, habitação e até mesmo alimentação. Fazem parte do terceiro setor as associações civis, as entidades assistenciais, as organizações não-governamentais (ONGs), os institutos e as fundações.