Associação Criança na Arte Sarajane

domingo, maio 22, 2005

Terceiro setor deve se profissionalizar

O terceiro setor, área que abriga as organizações privadas e sem fins lucrativos, está em expansão e exigindo uma gestão cada vez mais profissional. Embora não exista uma estatística oficial, estima-se que pelo menos 250 mil empresas atuem neste segmento em todo o Brasil, gerando cerca de 1,5 milhão de empregos diretos, segundo dados do Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (Ceats), entidade ligada à USP (Universidade de São Paulo).

O terceiro setor movimenta aproximadamente 1% do PIB do País, ou R$ 12 bilhões por ano, considerando gastos do governo e da iniciativa privada, destaca o Ceats. Apesar do enorme potencial de crescimento, a maioria das organizações ainda possui uma estrutura amadora, especialmente quando o assunto é captação de recursos em entidades privadas locais e internacionais.

A elaboração de projetos ainda necessita ser melhor profissionalizada, assim como a função de captação de recursos, que muitas vezes é feita de forma amadora, sem um plano, sem adotar funções inerentes ao marketing, por exemplo. As instituições devem ter pessoas preparadas para captar os seus recursos, de forma profissional, ou fazê-lo com voluntários ou com profissionais do mercado, para garantir a sustentabilidade das mesmas.

A captação de recursos requer conhecimentos específicos, planejamento e o desenvolvimento de estratégias de articulação. A captação de uma entidade social ou pública - acrescenta o economista - deve ser descrita em um plano anual, envolvendo os diversos tipos de fonte de recursos, considerando o histórico de realizações, as necessidades, local onde atua, competências em gerir projetos, demonstrar resultados transformadores, características e anseios do público-alvo objeto de seus projetos sociais.

Como o trabalho das ONGs é realizado basicamente junto a empresas privadas ou do governo - e essas não distribuem dinheiro à toa -, as entidades sem fins lucrativos encontram como maior desafio para sua manutenção a necessidade de profissionalizar a sua área administrativa. Por isso, é preciso, acima de tudo, criatividade para idealizar projetos que sirvam aos interesses das empresas e firmar parcerias. Em troca, as corporações buscam reconhecimento dos consumidores por sua "responsabilidade social".


Fonte: A Tarde